Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

QR6 - A olho nu

Estimada Joana, tenho dúvidas sobre um problema muito comum: as olheiras. Tenho-as desde miúda e por muito que faça estão sempre cá. Por que é que umas pessoas têm mais propensão do que outras para ter olheiras? São um problema hereditário? A minha mãe também tem desde sempre. Quais os cuidados de beleza que podem atenuá-las? Que princípios activos devemos procurar nos produtos de cosmética para combater este problema? Que hábitos devemos ter para as evitar?

Ana Margarida, Coimbra


Cara Ana Margarida, o seu problema é de facto comum a muitas mulheres e muitos homens de todas as idades. Não há soluções milagrosas mas uma atitude preventiva é necessária desde sempre, para que consiga evitar um agravamento precoce do problema.


Por que é que umas pessoas têm mais propensão do que outras para ter olheiras?

 

Porque existem diferentes factores desencadeantes.

As olheiras não são apenas consequência das noites curtas ou mal dormidas, do stress, ou dos consumos excessivos. Mesmo que tenhamos um estilo de vida saudável, podemos ter maior propensão ao desenvolvimento de olheiras. Elas podem ter um carácter hereditário, tal como os problemas circulatórios: varizes, hemorróidas... Nestes casos podem surgir olheiras desde a infância. Temos que evitar o agravamento da situação com cuidados preventivos, mas será difícil eliminá-la por completo.

Há pessoas que têm maior quantidade de vasos nesta zona o que leva ao escurecimento da região. Conforme estes se dilatam, maior o escurecimento. A época próxima à menstruação, nas mulheres, a desidratação da pele, doenças em geral, medicamentos fortes, bebidas alcoólicas, fumo, café e, finalmente, cansaço, tudo isto torna mais visíveis as veias sob as pálpebras. Olhos com formato mais «redondo» têm mais tendência a olheiras. Para quem tem os olhos «fundos» ou «encovados», o problema estende-se até às pálpebras superiores.

Algumas patologias intensificam o problema: alergias, asma, eczema, anemia, são alguns exemplos.


São um problema hereditário?

Muitas vezes sim. Existem causas hereditárias associadas aos problemas circulatórios. Repare por exemplo na questão das varizes ou das hemorróidas... verifica-se quase sempre mais do que um caso na família.


Quais os cuidados de beleza que podem atenuá-las?

Em primeiro lugar optar por um estilo de vida equilibrado e saudável, com uma boa alimentação e ingestão de água associadas.

Depois, escolher os cosméticos adequados e claro, correctores de maquilhagem de qualidade.

Para casos mais graves recomenda-se uma consulta a um dermatologista ou cirurgião plástico, pois algumas técnicas realizadas no consultório médico poderão ser uma ajuda preciosa.


Que princípios activos devemos procurar nos produtos de cosmética para combater este problema?

 

Devemos optar por cosméticos com fórmulas vegetais. As plantas têm excelentes propriedades, têm uma grande afinidade com o ser humano e são muito bem toleradas nesta área tão sensível; sem conservantes sintéticos agressivos; sem perfume, para reduzir o risco de intolerância.

 

Assim, para as olheiras «azuis» recomendam-se plantas antiequimóticas, venotónicas, anti-irritantes, hemoestáticas, que dinamizem a microcirculação: gilbardeira, arnica, hamamélia, malva, centáurea azul, rosa, camomila, tília...

 

 

Para as olheiras «castanhas» é fundamental a fotoprotecção, com um protector solar que contenha filtros testados oftalmologicamente, bem como a utilização de complexos despigmentantes. Usam-se bastante as vitamina C, A, E (antioxidantes) e K; e alguns extractos marinhos provenientes de algas. Em casos mais graves pode ser necessário recorrer à hidroquinona (necessária prescrição médica), ao ácido kójico, agentes despigmentantes mais fortes.

Os bons produtos assumem dupla função quase sempre. Esteja atenta!

A esfoliação ou os peelings em consultório são óptimos aliados para amenizar a situação e potenciar a acção dos cuidados aplicados diariamente.

 

As mezinhas tradicionais, como as rodelas de pepino frias ou as compressas de chás são realmente eficazes mas exigem um maior número de aplicações por dia, o que nem sempre se consegue; torna-se pouco prático.

 

Se optarmos por um creme, devemos ter o cuidado de o aplicar diariamente porque é preciso ser persistente. Pouca quantidade e leves toques são essenciais para um correcto modo de aplicação. Existem alguns que podem mesmo ser aplicados como máscaras, o que é óptimo para quando estamos piores ou para uma acção intensiva pontual: antes de uma festa, por exemplo. Cuidado com a quantidade! Os excessos podem levar à oclusão do canal lacrimal, um problema muito desagradável.

Os cuidados de maquilhagem serão sempre fundamentais para camuflar as olheiras. Existem em todas as formas de apresentação: stick, lápis, pincel... escolha um tom que combine com o seu tom de pele, ligeiramente mais claro. Termine com um pouco de pó solto para que se fixe melhor e aguente todo o dia.


Que hábitos devemos ter para as evitar?

Devemos procurar dormir bem, não fumar, não consumir bebidas alcoólicas. Durante o sono, o organismo liberta hormonas indispensáveis para uma série de processos vitais importantíssimos. Muitas actividades de regeneração são feitas durante o sono. O cansaço estimula a flacidez, o stress acentua a vasodilatação e a produção de melanina, acentuando a olheira. Ao aplicar os produtos de tratamento procure exercer uma massagem suave mas drenante.

Espero ter ajudado!

 


Recapitulando a receita:

 

  • Optar por um estilo de vida saudável.
  • Lavar o rosto com água tépida.
  • Utilizar desmaquilhante específico para o contorno de olhos.
  • Aplicar um cuidado drenante e venotónico diariamente, com leves toques e em pouca quantidade.
  • Completar com um corrector de olheiras de boa qualidade num tom próximo ao da pele.