Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

AO VIRAR DA ESQUINA

 

 DEPAREI-ME COM UMA DESIGNER DE JÓIAS

 

 

 

 

 

Confesso que gosto de Óbidos. Com Mercado Medieval ou sem ele; com Feira do Chocolate ou sem ela...; com Festival de Ópera...ou sem ele.

 

 

Adoro passear - bem cedo! - pelas ruelas vazias, tomar um chá numa esplanada desconhecida, descobrir um recanto e fixá-lo na minha memória ou na minha pequena e desprestenciosa máquina fotográfica.

 

Por ali ando sem tempo e, muito, menos pressa.

Não é terra para se descobrir a correr. Temos de a saborear tal como os aromas que se soltam das janelas floridas; temos de olhar as pedras, descodificar os seus símbolos. Muitos.

 

Ontem desloquei-me a Óbidos. Um tempo pouco agradável - cacimbo e temperatura a pedir agasalho -, burocracias a tratar e...pressa.

Milhares de pessoas nas ruas... restaurantes cheios.

 

A minha pressa virou vagar e, quando isso aconteceu, as descobertas sucederam-se.

Dei de caras com a Sara Cardina. Já tinhamos falado várias vezes e nunca "associara o nome à pessoa".

 A "conversa é como as cerejas" e, de repente, fiquei a perceber que era a designer de jóias que já me tinha despertado a atenção em algumas revistas e exposições locais.

Mas não só. A Sara transmite as suas experiências e técnicas, a quem por isso se interesse, em ateliers periódicos.  Concorridos, diga-se.

 

 As suas colecções de jóias despertam a atenção de turistas e nacionais. Peças para todas as idades e a preços muito simpáticos.

 

Madeira, vidro, PMC, silicone, tecido, modelação, bronze clay, copper clay, white bronze, textura, pedras, prata, ouro, 3 D, rendilhados, uma panóplia de técnicas e materiais coabitam num mesmo universo – a obra de Sara Cardina.

No entanto, é o PMC que sobressai no seu trabalho, pela experimentação e possibilidades que este material permite e pela proximidade física à matéria.

 

O PMC é um material muito recente, pasta não tóxica, composta por 92% de metal em estado puro: ouro, prata, bronze ou platina e 8% de aglutinante de origem orgânica e água.

 

Em 2008 decide apostar numa especialização a nível internacional, deslocando-se à Mid Cornwall School of Jewellery em Inglaterra onde recebeu formação de Lisa Caine (Formadora e Directora da Cornwall School of Jewellery).                                   

 

Desde 2008 que faz parte do PMC Guild. No trabalho de Sara Cardina denota-se a constante exploração dos elementos naturais (padrões e cor), na sua forma e utilização de materiais.

 

São desenhos que fazem parte da nossa consciência colectiva – um circulo, uma folha alongada ou uma concha.
Em Sara Cardina , a jóia é uma dádiva de amor.

 

PARABÈNS, SARA!