Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

AROMAS, CORES, DANÇA

 

 

 

A vida é feita de encontros. Bons e maus. Felizmente só recordo os bons. É o melhor para o meu corpo e, especialmente, para a minha alma. Só assim, mantenho a harmonia que me  alegra a vida e dirige os passos. Quem sabe por isso, defino a vida “como um perfume a descobrir”.

 

E é de um encontro de música, dança, palavras, aromas e sabores que vos vou falar. Venham daí comigo!

Um amigo, o Idili, aromaterapeuta, sociólogo, filósofo, perfumista e sei lá que mais…  enviou-me uma mensagem simples: “ Conheci uma jovem licenciada em artes plásticas e bailarina que devias conhecer.  Pelo que é  como ser humano e pela arte que desenvolve”.

Não me enviou o contacto mas descobriu-o via net.  Bastou-me o nome.

 

 Escusado será dizer que nos encontrámos. Num final de domingo, ali para as bandas do Chiado no meio de flores, sumos e pão que ela gulosamente  molhava no azeite.  Um encontro, ou reencontro de duas pessoas que falavam a mesma linguagem e se sentiam irmanadas num ideal de harmonia e de Amor pela humanidade. Rimos, contámos experiências – ela da sua pesquisa e prática no campo da dança… eu no mundo dos óleos essenciais e dos perfumes. Se alguém reparou em nós  terá pensado, mãe e filha num fim de semana lisboeta.

 

Com o chegar da noite despedimo-nos. Ela tinha um espectáculo. Eu? Ia sonhar com os meus perfumes e óleos essenciais. Mas não só. Ia “beber” a conversa - que jamais vou esquecer -, e me levou a desejar descobrir a magia das danças  que ela  transporta consigo. Do bailado clássico às danças tradicionais e étnicas, conciliando o Oriente e o Ocidente.

Passaram poucos dias sobre  o  encontro  com a bailarina Carolina Fonseca, esse é o seu nome,  e surgiu a hipótese de nos reencontrarmos. O objectivo

 era dar-me a conhecer um pouco da sua dança e revisitar a gastronomia de Marrocos.  

A Arte da dança conjugava-se com a arte dos sabores e aromas no restaurante ” Flor de Laranja”, à rua da Rosa, em Lisboa.

(Laranja… rosa - dois dos ingredientes que integram quase todas as fragrâncias – e que me fizeram pensar “nada acontece por acaso”).

 

 

Um restaurante pequeno, no espaço, mas grande na ementa e no profissionalismo, na alegria da sua proprietária, Rabea Esserghnini.

E como foi bom saborear os pratos vegetarianos que escolhi ou me foram sugeridos; como foi bom “percorrer com os sentidos” os campos de rosas e das laranjeiras em flor. Como foi bom entender os movimentos de uma dança outrora sagrada e que a Carolina trazia até nós.

No regresso a casa lembrava a resposta de Rabea quando lhe perguntei porque escolhera “Flor de Laranja” para o seu espaço: transmitir bem estar, alegria.

 

Dizem os especialistas em Aromaterapia que o Óleo Essencial de laranja é um precioso auxiliar para combater a tristeza, o stress e a ansiedade, conduzindo ao bem-estar. Rabea, sabia do que falava . Acertou no nome do seu restaurante cuja ementa nos transporta até Marraquech e ao seu mercado de especiarias. Um local onde reina a boa disposição e alegria, a música e os aromas que se soltam dos pratos coloridos.

 

Os aromas confundem-se com os sabores e estes com a música que acompanha a dança de Carolina.

 

Uma viagem ao mundo dos sentidos!

 

Foi bom, naquele espaço e tempo, recordar Marrakech, os seus mercados, monumentos, cores...e aromas. Muitos!

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.