Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

A ROSA COMO FONTE DE INSPIRAÇÃO

 

 UM AROMA PARA O OUTONO

 

 

 

Thierry Wasser, perfumista da Maison Guerlain tinha uma ambição – passar a linguagem olfactiva (leia-se fragrância) as nuances aromáticas da rosa, do anoitecer ao amanhecer e deste ao pôr-do-sol.

Dessa sua paixão surge Idylle a que se seguiu  Idylle Duet.

 

Para este Outono anuncia-se Idylle Eau Sublime, verdadeiro sonho de amor entre um perfumista e a rosa, ou não seja ela, a flor do amor e de Afrodite.

 

Como ponto de partida uma nova dualidade - a rosa e a água.

 

Com efeito, para o coração de Idylle Eau Sublime, Wasser  postou na junção da essência de rosa com a água de rosa, um duo inédito em perfumaria.

Jasmim-pessego, patchouli e e almíscares brancos completam a fragrância, verdadadeiro hino ao despertar dos sentidos e sensualidade.

 

O design

 

Uma “evolução” da  gota de ouro que alberga Idylle e Idylle Duet. A elegância e modernidade que se casam com a sofisticação e requinte, símbolo da Maison Guerlain.

 

A cartonagem

 

Mais depurada, em tom beige inscreve-se no património histórico da casa. A etiqueta surge como um selo, um símbolo do amor da família Guerlain pelos perfumes e pelas mulheres.

 

 

A SABER:

 

 

- Entre Kazaniak, Kalofer e Kaiovo, na Bulgária, as pétalas da rosa (30!) são apanhadas à mão, antes do nascer do sol, momento em que o seu aroma é mais puro e profundo.

Não admira, pois, que o óleo essencial de rosa da Bulgária seja muito elevado. 5 ml desse precioso óleo, pode atingir o PVP de 360 euros (!!).

 

- A água de rosas faz parte da tradição da Maison Guerlain desde 1830, tal como o “leite de rosas”.

 

- “A Água de rosas é obtida por um processo moroso e minucioso, semelhante à criação de um óleo fino, e que preserva todos os perfumes da rosa.

O vapor de água aquecida até à ebulição leva consigo as moléculas odoríferas e serpenteia ao longo do alambique, arrefecendo lentamente e tornando-se liquido ao chegar ao separador, ou “vaso florentino”.

A água que cai para o vaso é, nesta altura, o que designamos por água de rosas. À sua superfície flutuam os óleos essenciais que serão recolhidos para elaborar a essência de rosa…”.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.