Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

PARA TODAS AS MULHERES

 

 

 

 

 

Com um abraço amigo, solidário e fraterno deixo-Vos um poema de Pablo Neruda.

 

Lembro-o muitas vezes.

 

MULHERES

Elas sorriem quando querem gritar.
Elas cantam quando querem chorar.
Elas choram quando estão felizes.
E riem quando estão nervosas.


Elas brigam por aquilo que acreditam.
Elas levantam-se para injustiça.
Elas não levam "não" como resposta quando
acreditam que existe melhor solução.


Elas andam sem novos sapatos para
suas crianças poder tê-los.

Elas vão ao medico com uma amiga assustada.
Elas amam incondicionalmente.


Elas choram quando suas crianças adoecem
e se alegram quando suas crianças ganham prémios.
Elas ficam contentes quando ouvem sobre
um aniversario ou um novo casamento.

 

É NECESSÀRIO RECORDAR

 

O DIA INTERNACIONAL DA MULHER, instituído pela Organização das Nações Unidas, tem como objectivo alertar o mundo para a discriminação e violência de que as mulheres foram vítimas ao longo da história.

 

(Infelizmente, o século XXI não é excepção)

 

Todos sabemos que as mulheres do Século XVIII e XIX,  eram submetidas a um sistema desumano – 12 horas de trabalho diário, vigilância contínua, espancamentos e ameaças sexuais.

 

É com a Revolução Industrial, 1789, que estas reivindicações se avolumam. "Exigem-se melhores condições de trabalho, acesso à cultura e igualdade entre os sexos".

 

 

Não admira, pois, que o  Dia Internacional da Mulher esteja profundamente ligado aos "movimentos feministas" defensores do respeito pela dignidade das mulheres e de sociedades mais justas e igualitárias.

 

 

Um “caminho” duro.

Um “caminho” a percorrer.

 

 
 

As tecelãs de Nova Iorque


No dia 8 de Março de 1857, 129 tecelãs da fábrica de tecidos Cotton, de Nova Iorque, decidiram paralisar os trabalhos para reinvindicarem 10 horas diáias de trabalho.

 

Era a primeira greve liderada exclusivamente por mulheres.

 

A polícia reprimiu violentamente a manifestação.

As mulheres refugiaram-se nas instalações da fábrica.

Pensavam estar a salvo.

 

Os patrões da Cotton ajudados pela polícia, trancaram-nas no local e atearam fogo.

As 129 tecelãs morreram carbonizadas. 

 

 

A homenagem a estas mulheres exploradas, indefesas e queimadas vivas foi feita feita durante a II Conferência Internacional das Mulheres realizada em 1910, na Dinamarca.

 

 

Deixo-Vos com a "Pomba da Paz.

 

Presto a minha homenagem a essas 129 tecelãs que apontaram o "caminho" que ainda percorremos.

 

Excelente fim de semana