Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

DA ARQUITECTURA PARA A MODA

 

 OPÇÂO CERTA

 

Após ter iniciado a sua formação superior em Arquitectura, José António Tenente, envereda pela Moda, revelando em 1986 a sua primeira colecção.

 

Actualmente  o universo da marca estende-se a vários projectos: ‘TENENTE escrita’, ‘TENENTE eyewear’, ‘Amor Perfeito’ perfume, e LojaTenente.com.

Em 2009 viu editado um livro sobre o seu trabalho ‘JAT – Traços de União’.

 

Em 2010 comissariou a exposição ‘Assinado por Tenente’ no MUDE, Museu do Design e da Moda, em Lisboa.

Ao longo da sua carreira recebeu vários prémios de “Criador de Moda” e outras distinções como a Medalha de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Cascais  e a Comenda da Ordem do Infante D.Henrique.

 

A concepção de figurinos tem ocupado um lugar importante no seu percurso tendo trabalhado com diversos encenadores e coreógrafos: Carlos Pimenta, Maria Emília Correia, Lúcia Sigalho, Carlos Avillez, Rui Horta, Clara Andermatt, Benvindo Fonseca, entre outros.

 

Em 2011 fez parte da equipa artística da ópera Antigono, Divino Sospiro/CCB

 

Mas não só. José António Tenente cria os figurinos para AS LÁGRIMAS AMARGAS DE PETRA VON KANT’de Rainer Werner Fassbinder a partir da tradução de Yvette Centeno e encenação António Ferreira
cenografia Luísa Bebiano
desenho de luz José Carlos Gomes
sonoplastia Baltasar Gallego
 

“Este projeto é particularmente atrativo para um designer de moda, já que a personagem central, Petra von Kant, é também ela designer de moda.

No primeiro encontro com o encenador levava inevitavelmente algumas ideias do que poderia ser esta ‘Petra’ e várias imagens que conduziriam a um universo de moda muito específico.

O grande desafio foi retrabalhá-las de modo a corresponder ao que o António Ferreira pretende para o todo do espetáculo; uma imagem muito artificial, nada estereotipada, nem naturalista e especialmente sem referências temporais definidas. Desse modo, e dado que o universo da moda é central, inspirei-me em elementos chave da moda do séc XX, de Poiret a Chanel, mas também Madonna ou Anna Piaggi, ou seja, figuras de estilo muito marcantes e pessoais.

Até ter o meu trabalho terminado, faço questão de não rever o filme original do Fassbinder que vi nos anos 80 e do qual tenho algumas memórias. Seria sempre muito difícil não me contaminar pelo rico universo visual que recordo existir”, diz José António Tenente.

 

 

 

A Saber

 

Interpretação: Cláudia Carvalho, Custódia Gallego, Diana Costa e Silva, Inês Castelo-Branco, Isabel Ruth e Paula Mora
Co--produção TNDM II, ACE / Teatro do Bolhão e Centro Cultural de Ílhavo

cenografia Luísa Bebiano
desenho de luz José Carlos Gomes
sonoplastia Baltasar Gallego

 

TNDM II . SALA ESTÚDIO

DE 15 DE Setembro a 06 Novembro

4ª a Sáb. 21H15 | Do,. 16H15

 

 

 

 

PARABÉNS, José António Tenente!

 

É caso para dizer: Perdeu-se um Arquitecto ...ganhou-se um excelente Designer!