Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

Fragrâncias

Perfumes, Práticas e Discursos

DIETA MEDITERRÂNICA

 

 

 "COME PARA VIVER, NÂO VIVAS PARA COMER"

 

 

 

Já referi algumas vezes a importância da dieta mediterrânica.

Nunca é demais relembrar as suas propriedades numa época em que vão surgindo cada vez mais doenças provocadas por uma alimentação feita de excessos e desequilíbrios.

 

Não será por acaso que a dieta mediterrânnica é aconselhada pela Organização Mundial de Saúde.

 

"No nosso país, produzem-se todos os alimentos necessários a uma alimentação saudável e não precisamos de recorrer a alimentos importados para colmatar as nossas necessidades nutricionais.", diz a nutricionista Paula Veloso e autora do livro  Dietas Sem Dieta e Dietas sem Castigo.

 

"Não será novidade para ninguém que a dieta mediterrânea é considerada a mais saudável do mundo, tendo a aboná-la pelo menos três mil anos de prática.

 

Por esse motivo, a Espanha solicitou à Comissão Europeia que a dieta mediterrânea venha a ser considerada Património Cultural Não Material da Humanidade e pediu a todos os países da UE que interfiram e apoiem este propósito", diz Paula Veloso.


A dieta mediterrânea é a alimentação dos povos da bacia do Mediterrâneo, espécie de oásis com a Natureza em todo o seu esplendor, plena de sol, vegetação e mar. Tudo isso se reflete na sua culinária repleta de cor, aromas e sabor.

                                              

 

A SABER:

 

- A dieta mediterrânica é considerada pelos especialistas, como a mais adequada para prevenir ou ajudar a separar uma série de doenças originadas em dietas alimentares desequilibradas.

- A dieta mediterrânica ajuda a controlar o excesso de peso

- Os mesmos especialistas afirmam que os adeptos deste tipo de alimentação têm menos probabilidades de virem a ser atingidos por síndrome metabólico, doença cardíaca ou cancro, AVCs ou diabetes... e depressão.


NOTA:

 

Apesar de Portugal não pertencer aos países mediterrânicos, a verdade é que produz todos os "ingredientes" da sua dieta.

Este termo, originado do grego diaita, significava um "regime alimentar racional e metódico, composto por produtos naturais e ecológicos", embora nos nossos dias esteja quase obrigatória e injustamente ligado a dietas para doentes ou de emagrecimento.

É tempo de retomar o verdadeiro sentido da palavra e entender que quando se fala em dieta, isso significa a totalidade de alimentos ingeridos ao longo de um dia, integrados num plano alimentar que dê saúde ao corpo e à mente, diz Paula Veloso

 

 

 

 NÂO SE ESQUEÇA:

 

         COMA PARA VIVER, NÃO VIVA PARA COMER!

 

 

BOAS FÉRIAS